sábado, 26 de agosto de 2017

Quando nossas estratégias mostram o quão sozinho estamos


Uma das grandes certezas que temos na terra é que os problemas nos acompanharão, isso não é uma coisa relativa, todas as pessoas da terra, grandes e pequenos passam por problemas. Enquanto cristãos passaremos por maiores ainda, principalmente pelo fato de não usarmos os métodos deste mundo para resolver muitos deles, passamos pelos problemas que muitas vezes nos incitam a pecar e isso faz com que sejam ainda piores em nós.

Certa vez Jesus disse: “No mundo tereis tribulações; mas não vos desanimeis! Eu venci o mundo.” (João 16.33b – A. Sec. 21). E ele sabia exatamente do que estava falando. Seus últimos anos de ministério foram cercados de problemas, pessoas o cercavam em busca de curas e libertações enquanto outros tentavam matá-lo por libertar o povo da prisão religiosa de sua época. Provavelmente nós não teremos conhecimento de todas as perseguições que ele passou para trazer a verdade ao mundo, ainda mais, para ser a luz deste mundo. Não foi diferente com aqueles que o seguiam, ambos foram perseguidos anos depois de sua ressurreição, mortos de formas macabras para que enfim este evangelho chegasse a mim e a você trazendo igualmente uma realidade, seremos perseguidos e os problemas serão constantes até que Jesus volte para nos levar.

Em maio de 2017 eu estive em um deserto espiritual, talvez como nunca estivera até então. O mês se iniciou com a promessa de que seria uma benção para minha família e para os negócios, foi um mês grande, vinte e três dias de vendas e elas estavam indo cada vez melhores. Até que por algum motivo elas despencaram! Em duas semanas eu não havia vendido o que vendera em uma do mês anterior e eu estava enlouquecendo atrás de uma estratégia para mudar isso. O nível de estresse foi tão grande que por pouco não entrei em uma fase de depressão e para piorar eu sentia que Deus estava distante de mim, ou seja, eu não tinha ninguém para procurar. Do meu lado outros vendedores vendiam muito mais, estavam tendo um ótimo mês e vendedores com número menor do que os meus estavam agora superando os próprios limites, eu estava passando mal com tudo isso. Busquei por muito tempo entender o que estava acontecendo, tentei técnicas diferentes até que minha mente não conseguia mais ter paz com o que estava acontecendo, minhas vendas refletiam dez porcento do mês anterior até a terceira semana, onde eu finalmente compreendi o que estava errado.

O mesmo aconteceu com o povo de Deus. O profeta Isaías passou por um período macabro para o povo de Israel onde o assistia tomar rumos estranhos e arriscados para resolver o seu maior problema, estavam sendo perseguidos pela Assíria e com isso buscavam apoio para vencê-los. Em uma dessas decisões desesperadas eles voltaram a negociar com o povo do Egito, povo que anteriormente os escravizou e maltratou até que Deus levantou Moisés para os libertar, uma mensagem clara já desponta apenas por ler essas palavras. Deus ficou tão irado com a posição deles que no capítulo 30 de Isaías nós o lemos declarando:
Ai dos filhos rebeldes, diz o Senhor, que realizam planos que não procedem de mim e fazem aliança sem a minha aprovação, para acrescentar pecado sobre pecado; que se propõem descer ao Egito sem buscar o meu conselho, para se fortalecer com a força do faraó e para se refugiar na sombra do Egito! Mas a força do faraó vos trará vergonha; a confiança na sombra do Egito vos humilhará. ” (Isaías 30.1-3 – A. Sec. 21)

O fato de passarmos por problemas aqui na terra faz com que constantemente busquemos soluções rápidas, funcionais e nem sempre muito inteligentes como no caso do povo de Deus descrito em Isaías trinta e… no meu exemplo. Esquecemos que alguns, aliás muitos, dos problemas que passamos tem sua causa nos nossos próprios pecados, muitas vezes eles chegam como consequência, como nos dois casos citados no texto e como estamos cegos com o nosso ego ou com o nosso erro e não lembramos de que Deus está o tempo todo nos vendo. Ele nos acompanha em cada passo observando o que estamos fazendo e ainda vamos fazer, isso fez com que sua resposta (nos dois casos) fosse um pouco mais tardia pois viu que ao invés de esperar nEle o povo buscou auxílio em meios reprováveis ou sem a orientação divina. É importante notar que em alguns casos nós conseguimos soluções realmente boas, porém não são as soluções que Deus quer para nós e aí ele mesmo pode nos atrasar, o que nos deixa ainda mais impacientes.

Algumas destas soluções ignoram tudo que precisamos aprender para que os mesmos problemas não se repitam ou pior ainda para que o problema atual não se torne ainda maior. Para isso o mundo tem conselhos muito práticos, rápidos e algumas vezes fatais. Para o casamento problemático ele oferece o adultério, para os problemas na igreja ele sempre oferece algo melhor em casa, para o problema com sexo ele nos dá a pornografia, prostituição e etc., para a falta de dinheiro ele oferece empréstimos, crimes, corrupção e por aí vai a nossa paz. O mundo sempre tem um conselho que nos leva a morte, nos joga no deserto e te faz cada vez mais escravo da própria realidade. De fato, nós não temos estratégias que garantam cem porcento o nosso sucesso, quando fazemos algo parecido estamos ativando a tão sonhada sorte, e ela quase sempre está contra nós. Deus acompanha cada passo, as vezes ele mesmo quer nos mostrar o quanto estamos distantes e nos coloca em situações em que espera aprendermos a confiar apenas no seu conselho. Foi assim com o povo de Israel e comigo não foi diferente. Apesar de problemas e situações de risco nos cercarem ele sempre nos oferece uma saída, aliás todas as saídas estão nele e apenas por ele conseguimos ter paz. O profeta anuncia tais palavras logo que expõe o nosso maior problema, acompanhe:

“Agora, escreva tudo isto e ponha num livro para que o registro fique para as próximas gerações, porque esta é uma geração rebelde, um povo que mente, um povo que se nega a ouvir qualquer coisa que o Eterno diga. Eles dizem aos seus líderes espirituais: “Não nos incomodem com bagatelas”. E dizem aos seus pregadores: “Não desperdicem nosso tempo com coisas que não são práticas. Diga-nos algo que nos faça sentir melhor. Não nos aborreça com essa religião ultrapassada, ela não nos diz nada. Parem de falar no Santo de Israel”. Por isso o Santo de Israel diz: “Visto que vocês zombam da Mensagem, preferindo viver na injustiça e moldar sua vida com mentiras, essa forma perversa de viver será como um muro alto e mal construído que aos poucos se inclina e cede, e um dia, sem aviso, desmorona – uma vida feita em pedaços, como um vaso quebrado, além do ponto de reconhecimento ou de conserto, um monte de entulho sem utilidade a ser carregado e jogado no lixo”.
O Eterno, o Senhor, o Santo de Israel está dando este conselho solene: “Se querem salvação, voltem para mim e parem com esses esforços inúteis para se salvar. Sua força virá depois que se acalmarem, em completa dependência do meu poder – Exatamente aquilo que vocês se recusam a fazer.
Vocês têm dito: “Nada deu certo. Vamos fugir a cavalo! ”. Vocês vão fugir, sim, mas não para longe suficiente. Vocês têm dito: “Vamos fugir em cavalos velozes! ”. E vocês acham que seus perseguidores montam cavalos velhos e cansados? Pensem bem: mil de vocês vão se espalhar em fuga diante de um único inimigo. Diante de apenas cinco inimigos, todos vocês fugirão. Não sobrará nada de vocês: serão um mastro na colina sem a bandeira, um poste de sinalização na estrada, mas com o sinal arrancado”.
Mas o Eterno não terminou ainda. Ele quer ser bondoso com vocês. Ele se esforça para trata-los com misericórdia. O Eterno aguarda o melhor momento, para fazer tudo certo – tudo. Felizes os que esperam nele! ”
(Isaías 30.8-18 – A Mensagem – Editora Vida)

Apesar de ver nossos recursos próprios como rebeldia, de ter motivos óbvios para não nos ajudar e virar-se de costas para nós Deus está sempre disposto a nos ajudar, ainda mais, ele quer ser bom conosco. Antes, porém precisamos desistir de nossas próprias fórmulas incapazes de resolver alguma coisa, voltar nossos ouvidos ao que ele tem falado e após isso entregar a ele a chave de nossas vidas. Ele quer ter tudo em suas mãos e de fato o tem, mesmo que não queiramos ele controla todas as coisas, inclusive a sua atual situação. Confiar em nós mesmos é como se esconder num muro que em breve vai cair, revelando nossa fragilidade e nos tirando a paz. Com ele é diferente, no tempo certo ele mesmo se levanta e resolve os nossos problemas e quando precisamos fazer alguma coisa ele mesmo nos diz como e quando fazer e o mais importante é que Ele mesmo nos orienta a descansar enquanto resolve tudo! Consegue perceber como ele nos ama e se levanta a nosso favor? Basta confiar e esperar, ele mesmo luta pelos seus filhos, tremendo Pai nós temos no céu!

Esta mensagem não pertence apenas ao antigo testamento, ela fala para nós hoje. Tenho visto e vivido pessoalmente cada letra desta postagem. Após três semanas passando por um deserto que me engolia cada vez mais cheguei à conclusão de que estava confiando mais nas minhas próprias estratégias do que em Deus. Dei a ele a chave da minha vida, no tempo certo se levantou, mandou que eu esperasse apenas nele e após isso ele tem cuidado de nossa família, cada dia é diferente do outro e eu sinceramente não sei como será o amanhã. Sei apenas que sou feliz por esperar todas as coisas dele! Significa que eu não faço mais nada? De forma alguma, isso significa que eu quase não tenho tempo para fazer pois ele tem feito muito por nós. É algum tipo de estratégia nova? Não! Pois ele mesmo conhece o nosso coração, sabe o que se passa em nossa mente e não deixaria ser usado, diferente de tudo isso ele mostra que quer cuidar de você e fará o impossível para que isso aconteça.

Acredite, ele quer ser um Deus bom com você também!

Ratings and Recommendations by outbrain