terça-feira, 10 de janeiro de 2017

O Deus seguro - Série: Palavras do Mestre 03

O Deus seguro!

Em 2016 eu realizei a proeza de ajuntar cerca de quatro formas para ganhar dinheiro! Claro, não ganhei muita coisa… e de certa forma isso foi um dos melhores resultados que pude obter e muito pelo contrário, evoluí muito quando decidi acabar com pelo menos três delas… e agora está tudo sendo transformado!

Segurança de vida é uma coisa complicada, quando sentimos que estamos seguros o mundo nos oferece uma possível segurança ainda maior a qual podemos obter através de bastante esforço e dedicação e isso não é errado, porém quando a ansiedade começa a nos escravizar é possível que esqueçamos que toda segurança disponível depende unicamente de uma base mais forte do que a nossa. Ou seja, somos muito fracos e não podemos nos assegurar de nada, e se dependemos de outras pessoas nos vemos frustrados porque todas as pessoas são iguais e novamente sentimos a velha incerteza da vida.

Nosso Salvador encontrou diversas pessoas com muitos motivos de ter incertezas sobre a vida e consequentemente ansiedade sobre como será o dia de amanhã, assim como somos tentados a vivermos hoje, em 2017!

Com tanta incerteza, medo e ansiedade, é possível, e muito possível, que o homem trace um objetivo e persiga-o a ponto de tornar esse resultado mais importante do que a própria vida. Esse efeito pode ser chamado de idolatria se observado nas suas consequências a médio prazo e levando em consideração que a busca por um objetivo de forma desenfreada faz com que ele se torne mais importante do que muitas coisas para nós. É aí que muitos pais se esquecem dos filhos, da esposa, de si mesmo e consequentemente de Deus, que por acaso é o único que pode nos dar verdadeiro sucesso, como de fato ele dá àqueles que o buscam em primeiro lugar! Nosso mestre quando ensinou sobre isso iniciou sua conversa assim:

Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões arrombam e roubam. Ajuntai, porém, tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem destroem e onde os ladrões não arrombam nem roubam. Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração” (Mt. 6.19-21)

Uma das formas de ter maior segurança, de acordo com o nosso sistema, é através de bens de consumo. E de certa forma não é ruim ter muitos bens, não era sobre isso que Ele estava dizendo e sim pelo fato de depositarmos toda nossa confiança nessa suposta segurança que os bens parecem oferecer. Mas, você já parou pra pensar que na prática o que acontece é justamente o contrário? Pessoas com muitos bens, além de poder esquecer a base fundamental da vida, levam uma vida com mais desconfiança, mais medo! Sei que existem exceções e Jesus até encontra uma dessas figuras quando um jovem super seguro de si mesmo o perguntou sobre como ele chegaria ao céu… o resultado também foi ruim… 

Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu. Então vem, e segue-me” (Mt. 19.21)

Então o mestre queria dizer que eu preciso ser pobre para ir ao céu? Claro que não, e vemos isso no livro de Atos, onde pessoas ricas eram salvas, vendiam seus bens para ajudar os outros, para que o reino dos céus aqui na Terra fosse mais digno também para outras pessoas. Então porque aparentemente o jovem rico não quis ir para o céu? Porque naquele momento Deus não era mais importante do que os seus bens… ele queria ir para o céu, mas não queria se entregar completamente a Deus, como ele pede que façamos, e isso é muito mais comum do que você pode pensar.

Todos os domingos pessoas lotam igrejas em busca de uma falsa garantia de que tudo vai ficar bem aqui na Terra, de que eles estarão seguros enquanto estiverem perto de Deus. Parece-me mais como uma mandinga do que uma adoração e é para essas pessoas que Jesus quer se revelar uma fonte segura. Mas ele jamais faria isso enchendo o seu coração de amor ao dinheiro ou até mesmo dos prazeres e vantagens de uma terra que muito em breve será extinta, de uma vida que muito em breve sofrerá uma mudança tão drástica que nenhuma riqueza poderá ser considerada como garantia de coisa alguma.
Jesus quer te dar a garantia, a segurança de que você estará para sempre com ele, aqui e no céu. Pobre ou rico. Não importa a situação humana, ele sempre estará com você e isso é uma garantia eterna.

Talvez esta ansiedade tenha mais haver com o seu status, ou quem sabe é apenas uma preocupação tola de que para sermos felizes precisamos nos concentrar em como estaremos amanhã. Como citei acima, isso faz com que as pessoas se afastem do hoje e vivam um amanhã que nunca chegará. Para estas pessoas, que tem medo do futuro o mestre ensina sobre o verdadeiro significado de tempo para a vida humana quando questiona “Qual de vocês poderá, com as suas preocupações, acrescentar uma única hora ao curso de sua vida?… Buscai, pois, em primeiro lugar o seu reino e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não andeis ansiosos pelo dia de amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal.” (Mt. 6.27,33-34).

Na busca para garantir alguma segurança o homem acaba se envolvendo com coisas que roubam seu coração. Demora cair a ficha quando passamos por esta situação. Até lá perdemos família, filhos, a confiança de algumas pessoas importantes. Perde a tão sonhada segurança física, emocional, financeira e consequentemente espiritual. O homem se afasta de Deus e sente na pele o que é estar inseguro, sozinho e confuso. Os ídolos criados pelo coração de um homem faz com que ele mesmo se destrua, mas Jesus continua dizendo para que paremos de buscar nossa segurança em coisas terrenas e passageiras, ele mesmo quer ser nossa segurança. Se para você estar seguro é estar com a conta bancária cheia, a casa lotada de coisas que podem te dar certo alívio e uma falsa segurança ele quer te dizer que um dia tudo isso não servirá de nada. De que vale alguns poucos anos vivendo longe de Deus e tendo sua vida abastada de bens materiais se você passará a eternidade longe do único que pode te garantir segurança verdadeira em qualquer situação?

Então como sobreviver? Como resolver os nossos problemas se não temos dinheiro, esperança ou solução? Essas duas perguntas tiram o sono de muitas pessoas ao redor do mundo. O que Ele pede? Fico aqui com concelhos meus, para que você possa passar por essa fase de forma saudável mesmo que não tenha uma conta bancária cheia ou uma vida de regalias.

Viva uma vida digna (Sl 1.1-6), seja de confiança e não deixe o seu coração dominar a sua mente. Trate todo mundo com o seu melhor, seja o seu melhor para todas as pessoas ao seu redor (Jo. 13.34,35). Trabalhe sempre, mas não apenas para ser rico (Ec. 6). Aprenda trabalhando, crie laços com outras pessoas para que você tenha com quem contar. Agradeça a Deus por não ter tudo que sempre quis, agradeça por ele ter de abençoado hoje! E declare que você não tem nada para amanhã e mesmo assim sente-se seguro por estar sob os cuidados de um grande Deus (Sl 18). Sente-se rico em alguma coisa? Distribua gratuitamente isso a outras pessoas, Deus lhe deu para que você pudesse abençoar outros a quem ele mesmo quer abençoar. Tem pouco? Busque a Deus e faça dele o seu muito, ele pode suprir todas as suas dificuldades e novamente, viva de forma digna, não deseje aquilo que o Senhor não quer lhe dar, o filho pródigo desejou o mundo e saiu em busca dele… (Lc. 15. 11-32) terminou desejando comer da comida dos porcos. Ele tinha tudo e não sabia, era filho de um bom pai, mas não havia percebido, ele estava envolvido com seus próprios ídolos, dificilmente teria descoberto que era filho de um Deus. Procure saber o que você tem de bom e agradeça sempre por isso! E sempre confie em Deus falando com ele o tempo todo!

Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim jamais terá sede” (João 6.35)

Devair S. Eduardo


Para melhor entendimento dos próximos capítulos estude todo o conteúdo de João 6

(correção interna - 01/03/2017)

Ratings and Recommendations by outbrain